Vale a pena esperar até o casamento para fazer sexo?

Nunca tivemos nada.Já tivemos algo.Ele é meu namorado.Ele é meu noivo.Ele é meu marido.Ele é meu ex.Continuar.

Apesar de vivermos no século XXI, virgindade ainda é um tema tabu entre muita gente.

[sc:calculadora ]

Basta uma rápida busca na internet e várias dúvidas vão surgir: “qual a idade certa para perder a virgindade?” “Perder a virgindade com um ficante ou com um namorado sério?” e ainda questões como se manter virgem até o casamento.


Independentemente da idade, falar de virgindade ainda deixa homens e mulheres constrangidos ao simplesmente ouvir essa palavra. Mas será que escolher se manter virgem é alguma espécie de crime? O que talvez justifique o motivo de algumas pessoas olharem torto para você caso diga: “sou virgem e escolhi me manter assim até o casamento.”

A questão é que, se enquadrando você no grupo dos que mantém uma vida sexual ativa ou dos que escolheram preservar a virgindade, imagino que a dúvida paire sobre sua cabeça:

Esperar até o casamento ainda vale a pena?  Abaixo trago três razões que levam homens e mulheres a se manterem virgens até o casamento e os motivos pelos quais acreditam que essa decisão vale o esforço!

3 Motivos para esperar até o casamento

Será que o namoro precisa de sexo?

 

1 – Motivos religiosos

Algumas religiões determinam que o ato sexual deve ocorrer apenas após o casamento. Consideram até que é pecado qualquer envolvimento sexual entre pessoas que não são casadas.

A religião tenta passar aos jovens que o sexo depois do casamento tem maior qualidade e o relacionamento com a outra pessoa torna-se mais estável, além de ser uma forma de prevenir as famosas DSTs. Em resumo a ideia é pregar a pureza do matrimônio entre um homem e uma mulher.

O detalhe é que muitos jovens consideram apenas o ato sexual que envolve o rompimento do hímen como perda da virgindade antes do casamento. E ao praticarem outras formas de sexo acabam deixando de lado o uso do preservativo.

Mas se além de ser uma obrigação da religião, a escolha de preservar a virgindade parte do próprio casal a ideia torna-se interessante e pode mesmo vir a deixá-los mais unidos. Já que terão que resistir juntos as “tentações do corpo”.

2 – Família conservadora

Apesar de vivermos em um mundo onde sexo é um tema discutido inclusive em programas de TV, ainda existem famílias que são mais conservadoras quanto ao assunto.

Não digo em questão a querer escolher o marido/esposa do filho, como acontecia antigamente. Mas sim famílias que realmente não falam sobre sexo com seus filhos ou que consideram esse um tema que deva ser discutido apenas após o casamento.

Em alguns casos o jovem acaba se aventurando sozinho e por não ter essa abertura acaba mantendo em segredo suas experiências sexuais.

Por outro lado existem aqueles que preferem se manter virgens até o casamento, para assim não perder a “confiança” da família ou até mesmo que acreditam nos valores que lhe foram passados e pretendem perpetuar para as próximas gerações.

3 – Escolha própria

Algumas pessoas optam por permanecer virgens até o casamento por decisão própria. Chegam inclusive a enfrentar vários preconceitos por parte de colegas e amigos.

Normalmente acreditam que sexo é um passo na vida que deve ser pensado com calma e que o ideal é que a primeira vez seja com alguém por quem exista um sentimento. Literalmente seguem aquele lema: faça amor, não faça sexo.

É importante ressaltar que os três motivos que citei poderiam se resumir em apenas um. Afinal, independente de a religião dizer que sexo antes do casamento é pecado ou a família ser mais conservadora e não discutir o tema, o ideal é que a escolha de se manter virgem parta da própria pessoa.

O Segredo Inusitado Para Despertar Uma Tempestade de Desejo Apaixonado Na Mente do Homem Que Você Ama: (clique aqui para assistir ao vídeo)

Não há nada errado em acreditar em valores como a pureza ou idealizar o sexo como algo mais romântico. Portanto não se sinta culpado se decidiu se manter virgem até seu casamento e principalmente: não condene alguém que tomou essa decisão.

 


Gostou do artigo? Conte sua história nos comentários: