Como se constrói o amor verdadeiro?

Nunca tivemos nada.Já tivemos algo.Ele é meu namorado.Ele é meu noivo.Ele é meu marido.Ele é meu ex.Continuar.

Ao se falar de amor muitos pensam que encontrar um amor de verdade é questão de sorte. Que é preciso errar algumas vezes até finalmente conhecer a pessoa certa, aquela que realmente sabe a amar de verdade.

[sc:calculadora ]

Vale lembrar que o amor verdadeiro é aquele que trás a felicidade sincera e também faz com que o casal possa crescer não só juntos, mas também individualmente.


O fato é que encontrar o verdadeiro amor não é apenas uma questão de sorte. E essa história de pessoa certa que foi predestinada a você e por isso vocês dão certo juntos também não é verdade.

O amor de verdade envolve vários outros fatores que o casal precisa construir juntos. O principal é que haja união. Se não houver união não há amor e muito menos verdadeiro.

Mas depois dessa breve introdução ao tema, afinal, como se constrói o verdadeiro amor?

Aprenda como se constrói o verdadeiro amor com gestos simples

Como se constrói o amor verdadeiro

Amor não precisa de provas, o amor é a prova…

  1. Paciência e respeito

Para construir um amor verdadeiro é preciso não ter pressa. As coisas vão acontecendo aos poucos. Nas pequenas alegrias do dia a dia.

No respeitar o espaço do outro e saber o momento certo e as palavras certas a se dizer. Tudo isso aliado à sinceridade e a confiança.

  1. Dar valor às pequenas coisas do dia a dia

Aquele bom dia ao acordar, um café da manhã preparado especialmente para o outro sem ser um dia especial. Aquela situação que fez vocês rirem juntos sem um motivo.

De nada vai adiantar vocês repetirem diariamente que amam um ao outro se desprezarem as pequenas situações que viveram juntos.

Pequenos momentos de felicidade constroem as bases sólidas de um relacionamento. Sem esquecer que aquelas coisinhas bobas que fizeram com que vocês se desentendessem por um momento vão ajudar a conhecer e compreender melhor a pessoa que está com você.

  1. Cumplicidade e lealdade

Você sabe que vai precisar dar um espaço para que o amado não perca sua individualidade, mas isso não significa que você irá abandoná-lo por completo.

Para construir o verdadeiro amor vocês precisam aprender a ser sinceros um com o outro a todo instante e principalmente, a serem cúmplices para o que der e vier.

Não apenas nos bons momentos, mas também nos ruins. Você se lembra daquele verso que diz que é nos maus momentos que conhecemos quem são nossos verdadeiros amigos? É praticamente a mesma coisa em se tratando de amor.

Se você ama de verdade você estará ao lado da pessoa a todo instante, não importa o que aconteça. Mesmo que a paixão inicial não exista mais, o casal ainda consegue olhar nos olhos um do outro e mostrar o afeto que têm um pelo outro.

  1. Comunicação efetiva

Se o casal consegue se comunicar em todas as situações, inclusive quando se desentendem é por terem uma boa comunicação. E a comunicação efetiva é aquela em que ambos conseguem expor seus pontos de vista sem se sentirem acuados ou estarem invadindo o espaço do amado. O saber falar e também saber escutar.

No momento em que o casal consegue se comunicar bem as brigas praticamente deixam de existir, tornam-se apenas pequenas discussões. Algo natural, já que ninguém é igual a ninguém. E assim o amor se fortalece a cada dia.

E será verdadeiro pelo fato de que se a comunicação entre o casal é efetiva, significa que não há mentiras entre eles.

  1. Reconhecimento e confiança

Para construir o amor verdadeiro é preciso que ambos confiem um no outro. Sem cobranças ou acusações. Além disso, valorizam verdadeiramente os feitos do amado e também a ele próprio como pessoa. Ninguém está acima de ninguém.

O Segredo Inusitado Para Despertar Uma Tempestade de Desejo Apaixonado Na Mente do Homem Que Você Ama: (clique aqui para assistir ao vídeo)

Ambos estão em igual patamar. Sabem que não são perfeitos e admiram o parceiro por seus pontos fortes ao mesmo tempo em que o auxiliam a trabalhar seus pontos fracos.

 


4.2/5 - (4 votes)

Gostou do artigo? Conte sua história nos comentários: