Erros bobos que podem acabar com o relacionamento

Nunca tivemos nada.Já tivemos algo.Ele é meu namorado.Ele é meu noivo.Ele é meu marido.Ele é meu ex.Continuar.

Cometer algum deslize de vez em quando é até normal…

Afinal, ninguém é perfeito e errar é humano!

Quando você está em um relacionamento pode até acabar cometendo alguns erros, muitos deles ligados a experiências anteriores e cometidos de forma acidental…


O problema é que se isso se repetir constantemente é possível que a relação culmine em um término!

Para evitar que isso aconteça é preciso reconhecer esses comportamentos e corrigi-los – e até mesmo evita-los o mais rápido possível…

Com o intuito de te ajudar nessa tarefa selecionei alguns erros bobos que podem acabar com o relacionamento…

Erros bobos que podem acabar com o relacionamento

Prefira conversar ao invés de criar um motivo para brigar!

Prefira conversar ao invés de criar um motivo para brigar!

Discutir por qualquer coisa

Talvez você veja isso como uma forma de dizer que seu/sua parceiro (a) está invadindo seu espaço ou até mesmo como uma maneira de expressar que está descontente com algo!

O problema é que você criou um hábito ruim de fazer uma tempestade em um copo d’água por coisas que poderiam ser resolvidas com um simples diálogo…

Ao invés de partir para uma discussão pelo simples fato de que ele/ela esqueceu de colocar um prato na pia por exemplo peça gentilmente que ele/ela faça isso: “Amor, você poderia colocar seu prato na pia? Fica mais fácil na hora de lavar a louça!”

Até mesmo quando for algo que o outro fez que não te agradou, prefira conversar ao invés de criar um motivo para brigar!

Criticar demasiadamente

Ele/ela vestiu uma roupa que você não gostou ou esqueceu de fazer algo que você pediu…

Lá vem crítica… “Você não percebe que essa roupa te deixa ridículo (a)?” “Custa fazer isso na hora que pedi?”

A verdade é que você vira um (a) verdadeiro (a) crítico (a) de tudo e nada está bom…

Seu/sua amada pode até fazer uma declaração de amor em público para você e ao invés de agradecer você vai criticar aquela palavra que não se encaixou direito em sua fala!

Tenha em mente que ninguém está seguindo um script e que portanto as coisas não serão – e nem devem ser – sempre do jeito eu você quer!

Cuidado, críticas demais afastam o (a) amado (a) de você! Lembre-se que ninguém é perfeito, inclusive você mesmo (a)!

Vigiar o tempo todo

Você fica o tempo todo vigiando o que seu/sua amado (a) está fazendo?

Mexendo em seu celular sem que ele/ela perceba ou até mesmo verificando a todo segundo qual foi o último horário em que esteve online no Facebook ou WhatsApp…

Se por acaso ele/ela esqueceu o Facebook aberto no computador você já está lá verificando com quem ele/ela anda conversando?

Cuidado, a insegurança está falando mais alto e em algum momento seu/sua parceiro (a) vai notar que você não confia totalmente nele (a)!

Por que para a vigia sair do campo virtual – e as escondidas – e partir para algo mais direto como: “O que você está fazendo que não me respondeu ainda?” ou “Como você ousa sair sem me avisar?” é apenas uma questão de tempo…

É normal sentir-se um pouco inseguro (a)? Sim, mas você precisa trabalhar isso! Experimente se abrir e contar para seu/sua namorado (a) sobre o que lhe deixa assim!

Parar de investir na relação

Já a (o) conquistei, então não preciso fazer mais nada, correto? Não, muito errado!

Saiba que um relacionamento duradouro e de qualidade assim o é pelo fato de os parceiros estarem constantemente se reconquistando e tornando o amor mais forte…

Ou seja, não é por que você já está em um relacionamento sério que deixará de investir em seu/sua amada!

Continue cuidando de si mesmo (a) e a (o) surpreendendo a todo momento…

O Segredo Inusitado Para Despertar Uma Tempestade de Desejo Apaixonado Na Mente do Homem Que Você Ama: (clique aqui para assistir ao vídeo)

Aprecie diariamente a pessoa que está a seu lado e invista para que ela continue a se sentir bem com você!

Erros bobos que podem acabar com o relacionamento
3 (60%) 1 vote

Artigos relacionados:

Gostou do artigo? Conte sua história nos comentários: