Como trabalhar junto sem afetar a relação

Nunca tivemos nada.Já tivemos algo.Ele é meu namorado.Ele é meu noivo.Ele é meu marido.Ele é meu ex.Continuar.

Uma das coisas que você mais ouviu por aí é que relacionamento e trabalho são duas coisas que não combinam…

Tanto que muitos até flertam no ambiente de trabalho, mas na hora em que a relação começa a ficar mais séria preferem recuar!

Trabalhar junto com a pessoa amada exige um certo jogo de cintura, no entanto não é nenhuma tarefa impossível e a relação pode sim dar certo…


Está interessado (a) em alguém do trabalho mas tem medo de levar a relação adiante e as coisas darem errado?

Veja agora como trabalhar junto sem afetar a relação…

Como trabalhar junto sem afetar a relação

Como trabalhar junto sem afetar a relação

Você precisa ter em mente de que são colegas de profissão.

Separe as coisas

Assunto de trabalho se discute no trabalho e assunto de relacionamento se discute em casa

Essa é uma regra bem simples e precisa de obedecida para que a relação vá para frente!

Por mais que vocês se gostem muito e estejam juntos, no ambiente de trabalho precisam ter em mente de que são colegas de profissão…

Desentendimentos que acontecem por discordar de uma decisão relacionada ao trabalho precisam ficar nesse ambiente e não serem tomados como algo pessoal!

O contrário também é válido, quando acontecer algum desentendimento, isso não pode ser levado para dentro do ambiente de trabalho…

É preciso que o casal mantenha as coisas bem separadas!

Cuidado com as fofocas

Trabalhar no mesmo ambiente significa conviver com o mesmo grupo de colegas ou amigos…

E é claro que sempre vão existir aquelas pessoas invejosas ou que gostam de criar intrigas!

Se fofoca já é perigosa quando o casal não trabalha junto, imagine quando convivem todo dia no mesmo ambiente de trabalho…

O melhor é evitar dar atenção as fofocas bobas e se bater aquela insegurança falar diretamente com o parceiro (a) sobre isso!

Nada de incluir os outros colegas no meio e aumentar ainda mais a fofoca!

Preste atenção as regras da empresa

Algumas empresas não permitem namoro entre seus funcionários…

Enquanto outras são mais liberais quanto a esse assunto…

O melhor é saber ao certo qual é a política da empresa quanto a relacionamentos!

Se for proibido, será preciso manter uma posição muito profissional dentro do ambiente de trabalho…

Ou seja, mesmo sendo seu/sua namorado (a) você precisará tratá-lo (a) como trata a qualquer outro colega!

Mãos dadas, beijos e até mesmo abraços mais demorados precisarão acontecer fora do local…

Se a empresa tiver um posicionamento mais liberal em relação ao namoro o legal é só cuidar para não extrapolar os limites!

Um abraço, um selinho e até uma caminhada de mãos dadas para o almoço são permitidos, só cuidar para não abusar…

Controle os ciúmes

Por estarem o dia todo no mesmo local, dependendo do serviço é provável que você veja ele/ela a conversar com outras pessoas do sexo oposto…

O detalhe é que essas são conversas profissionais, com clientes ou até mesmo outros colegas de trabalho do mesmo setor!

Isso não pode ser motivo para ciúmes e se acontecer de você se sentir enciumado não poderá tirar satisfações!

O melhor é respirar fundo e lembrar que mesmo antes de vocês começarem a sair ele/ela já tinha vários contatos do sexo oposto, todos relacionados ao serviço…

Cenas de ciúmes no meio do ambiente de trabalho podem prejudicar a imagem profissional de vocês dois!

Enquanto que sempre sentir ciúmes dos contatos profissionais do amado (a) pode levar a desentendimentos no relacionamento relacionados a problemas de confiança…

Como você pode ver é possível manter um relacionamento mesmo trabalhando junto com a pessoa amada…

O Segredo Inusitado Para Despertar Uma Tempestade de Desejo Apaixonado Na Mente do Homem Que Você Ama: (clique aqui para assistir ao vídeo)

É apenas uma questão de saber respeitar os limites e separar as coisas! Assim vocês conseguem ser felizes tanto no profissional quanto no relacionamento!

Como trabalhar junto sem afetar a relação
2 (40%) 1 vote

Artigos relacionados:

Gostou do artigo? Conte sua história nos comentários: